CONVOCAÇÃO. INTRODUÇÃO.

(…) 

Nas próximas dezenas de páginas você vai conhecer uma infinidade de dicas e jogadas ensaiadas organizadas na forma de uma cartilha de artilharia. Com elas, a minha intenção é ajudar você a enfrentar a tensão da estreia sem tremer na base. Sem suar frio. Sem ter piriri. Não sou pediatra, nem obstetra. Não fui jogador de futebol, mas tentei ser, como 105% dos brasileiros. O que escrevo aqui, em linhas tortas como a perna de Garrincha, mas carregado de boa intenção e de honestidade, são minhas experiências reais. As furadas, os lances geniais, as bolas na trave, os chutões pro mato. As cagadas, também, para você lembrar que não é só o bebê que faz cocô o tempo todo.

Este livro foi escrito para cada super-homem-pai mas, claro, sua mulher também pode ler. Assim ela aproveita e complementa com algumas dicas trazidas do brilhante futebol feminino. O único problema é que sua querida centroavante descobrirá alguns motivos para aumentar a cobrança pelo seu bom desempenho no campo da paternidade. Pense bem antes de esquecê-lo em cima do sofá ou jogado no chão, como você ainda faz com a toalha molhada em cima da cama, seu sem- -vergonha. Aliás, aproveito o gancho para a primeira lição: é hora de cuidar melhor da sua bagunça. Sua mulher está grávida, a pressão cardíaca caindo até as chuteiras, cada dia ela vai se sentir mais cansada, sabia? Tome seu lugar de homem inserido no século XXI e cuide da ordem e harmonia geral da nação: o seu lar. Agora o atleta da casa é você. É aquele jogador que cobra o escanteio e corre para cabecear. Que pega a toalha e corre para lavar as cuecas. Polivalente, raçudo, incansável. Isso é o mínimo que você tem que ser: um ícone.

CANTANDO O HINO. FAZENDO O BEBÊ DORMIR.

(…).

“Boi, boi, boi

Boi da cara preta Pega esse juiz

É ladrão e picareta.”

“Nana, nenê

Que a bola vai rolar

Papai quer ver o jogo

E você vai atrapalhar.”

“Bicho-Papão

Sai de dentro desse estádio

Deixa o meu (nome do seu time preferido)

Golear sossegado.”

GLOSSÁRIO DO BOLEIRO. A LÍNGUA UNIVERSAL DO PAIZÃO.

(…)

Assistência: é quando você ou sua parceira estão no meio de uma situação de guerra e pede ajuda para o outro. O cocô vazando, a regurgitada no ombro, os choros por conta de gases no meio da madrugada. A assistência sempre resulta em gol, que os mantém vivos.

Bandeirinha: brinquedo utilizado para agitar de um lado para o outro, prendendo por horas a atenção do bebê enquanto você fica com cãibra no braço. Os bandeirinhas podem ser dois, um em cada lado do campo, aliás, do bebê: seu braço direito e seu braço esquerdo.

Banheira: “estar na banheira” é a gíria para dizer que um bebê está em posição de banho.

Bicicleta: jogada que ocorre quando o bebê, deitado na cama ou no trocador, começa a girar as pernas, antes da bola (ou do pum) chegar.

Chapéu: é quando o pai do bebê, para se livrar da marcação cerrada do sol, coloca em cima da cabeça de seu filho um objeto de tecido, protegendo-os da radiação ultravioleta.

Entrada (falta): jogada na qual o bebê chega com força para tirar o sono dos seus pais. Exemplo: o bebê deu uma entrada dura no meio da madrugada, sentindo cólica sem parar.

G-4: grupo dos quatro primeiros colocados na tabela de classificação de preferência do seu filho: dormir bem, comer bem, ficar sempre limpo e brincar bastante.

Gandula: é o responsável por repor as fraldas em jogo quando estas acabam.

Intervalo: é o tempo entre cada mamada. Cada bebê tem seu próprio regulamento. Não adianta reclamar com o juiz.

Jogadas ensaiadas: recebem esse nome as jogadas com o bebê parado nas suas mãos, nas quais o time (você e sua companheira) tenta uma ação previamente treinada. Por exemplo: dar banho, trocar a fralda, ninar.

Marcação homem a homem: é a marcação individual, quando um defensor, no caso, você, fica encarregado de cuidar do bebê quando sua esposa sai de casa para passear, relaxar, ver outras pessoas. Enfim, para não enlouquecer.

Peixinho: lance no qual um jogador se atira para a frente para alcançar a chupeta que vai cair no chão.

Tabela: também conhecida como “tabelinha”, é onde a mulher consulta quando será seu próximo período fértil para poder engravidar, passando a informação para seu companheiro e recebendo em seguida a proposta de um jantar romântico com segundas intenções.

Tempo normal: é o nome dado aos 90 minutos de um jogo, mais os acréscimos, de uma brincadeira, do banho, da mamada, do soninho da tarde.

WO: é quando vocês não conseguem fazer o bebê parar de chorar. Perdem qualquer noção do que fazer. E choram juntos.